Waking Life – Janaína Modesto

Filosofia Animada
6905_heading
WAKING LIFE (Waking Life)

EUA, 2001 – 99 min

Animação

Diretor: Richard Linklater

Roteiro: Richard Linklater

Elenco: Vozes na versão original: Wiley Wiggins, Kim Krizan, Ethan Hawke, Julie Delpy, Charles Gunning, Lisa Moore, Louis Mackey, Steven Prince, Caveh Zahedi, Adam Goldberg, Nicky Katt, David Martinez, Steven Soderbergh, Louis Black, Richard Linklater

Waking Life é uma obra visualmente deslumbrante e original, que oferece até alguns tratados intrigantes filosóficos sobre os princípios fundamentais da vida, enquanto sendo uma fonte constante de humor e espanto. Toma sua consciência, através de uma série de conversas e monólogos, através de diferentes filosofias. Mais ainda ao tomar as filmagens e colocá-las através de uma técnica de animação e o que se obtém é, ironicamente, considerando-se o título, uma excursão pelo sonho através da física, metafísica e delírios lunáticos em uma escala heróica. Surpreendentes em sua originalidade, deslumbrante, na sua erudição, ele enfrenta sem medo questões do livre-arbítrio, a identidade e a natureza da própria realidade sem nunca perder o seu sonho dentro de um sonho de qualidade. E isso é bom, porque seu tema central é se a vida “acordada” é de alguma maneira significativamente diferente do sonho, ou melhor, um sonho lúcido. Também não escorrega para os pântanos de pedantismo pretensioso. Linklater é sério, mas não insuportável. Humorado entrega a mensagem tão facilmente como uma proposição lógica.

A animação de Waking Life não segue a tradição das características da Disney. Utilizando da técnica de rotoscopia interpolada Linklater filmou todo o filme em live action, em seguida, transferiu digitalmente as imagens para computadores, onde o animador Bob Sabiston, supervisionou o processo de pós-produção em que 31 artistas, animaram de forma individual, geralmente dando duas caracteres para permitir uma variedade de estilos e interpretações. O resultado final é incoerente e sonhador, com imagens que são por vezes finamente detalhados e, por vezes, quase cru. Os fundos com freqüência vacilam, fazendo parecer que toda a ação ocorre a bordo de um navio balançando suavemente. Isso tudo é intencional, uma vez que a cada momento de Waking Life é para transpirar como se estivéssemos dentro de um sonho.

Waking_Life_by_TensionHead26

Sem possuir um roteiro convencional, e mais provavelmente trabalhando apenas com notas e idéias, Linklater utiliza cerca de trinta personagens para explorar a questão: “Será que somos sonambulos quando estamos acordados ou estamos acordados quando estamos sonhando?”. Para encontrar as respostas ele utiliza o protagonista anônimo e silencioso interpretado por Wiley Wiggins, estrela de “Jovens, Loucos e Rebeldes“, um jovem que voltou à cidade onde anos atrás, uma menina brincando daqueles jogos de dobradura de papel (não sei o nome daquilo, mas é daquelas brincadeiras onde se diz um número e a pessoa move o papel com os dedos até chegar num ponto onde ao desdobrar o papel à uma resposta) desdobrou para mostrar-lhe as palavras “sonho é destino”. E a partir disso ele parece estar em um sonho, e queixa-se que, embora ele saiba que é um sonho, ele não pode/consegue despertar. Ele vagueia por pessoas e lugares. Encontrando diversas teorias, crenças e sanidades através de uma grande variedade de pessoas, incluindo Robert C. Solomon, filósofo da Universidade do Texas, Speed Levitch, um tagarela contador de histórias, o diretor Steven Soderbergh e os atores Ethan Hawke e Julie Delpy, que oferecem debates e diálogos em ambos os elementos abstratos e concretos da existência composta de uma série de discussões filosóficas que vão desde como a linguagem evoluiu para o papel da mídia na vida moderna, o livre arbítrio e a mecânica quântica para o sentido de identidade.

Linklater encontra inúmeras maneiras de filosofar sobre a existência e realidade. Não há o interesse sexual, não há violência, não há história: apenas conversas. Este é um filme com as pessoas falando sobre o significado da vida. E isto não é supostamente irônico, ou cômico. Você não rirá deles. Você não rirá com eles, também. Está presa na seriedade, estranha insidiosa do que está se desenrolando. Como forma de enriquecimento teórico, muitos pensadores e personalidades foram pesquisados como forma de referências, alguns dos nomes citados pelos personagens são: o cineasta Jean-Luc Godard, o cineasta Robert Bresson, o cineasta Louis Malle, crítico de cinema André Bazin, o escrito Philip K . Dick, o poeta Garcia Lorca, o escritor Thomas Mann, romancista DH Lawrence, o filósofo Friedrich Nietzsche, filósofo Soren Kierkegaard, droga guru Timothy Leary, escritor e existencialista Jean-Paul Sartre.

wakinglife (1)

Um filósofo diz a Wiley como o pós-modernismo, com seu ponto de vista da identidade construída por determinantes sócio-ideológicos, não cumpriu a humanidade e que o existencialismo, tão longe de ser uma afetação datada, é preferível a visão do mundo. Outro pensador, um biólogo molecular, postula uma teoria neo-darwinista da evolução de dois sistemas – um digital, da tecnologia da informação, o outro analógico, da biologia e da clonagem – o que levará à ênfase da guerra, ódio e sofrimento. Um prisioneiro furioso ruge sua sede de vingança de trás das grades. Um ativista dissidente de uma forma Ballardiana fala sobre o amor orgástico do homem no caos: antes de se banhar com gasolina e acender um fósforo ateando fogo no próprio corpo. Um dos discursos escritos sobre o cinema do crítico André Bazin sobre o momento “sagrado” do cinema, quando a câmera olha sobre a realidade: a realidade, inalterável inefável, como um próprio Deus.

Este é um filme deslumbrante e avassalador, uma verdadeira obra de arte única. É uma aberração intelectual que será lembrada por sua aproximação ao espírito filosófico da vida, é um filme que me deu muito prazer e alegria em assistir. É um fluxo livre de idéias baseados em um roteiro improvisado. Ele reflete a curiosidade do diretor que não tem medo de aprender e desbravar novos caminhos. O filme não está preocupado com o enredo ou sobre a tentativa de trazer respostas concretas, mas trazer idéias é a própria mensagem. Por si só, este filme está mais próximo da realidade do que a maioria dos filmes. Se há alguma crítica a Waking Life é que Linklater tem limitado o seu potencial, limitando o recurso a uma série de conversas. Isso também significa que às vezes você se encontra assim envolto pela imagem inebriante que é difícil de concentrar-se na lábia dos personagens. No entanto, parece grosseiro reclamar que havia muita coisa para absorver, quando o caso é geralmente o oposto. Waking Life, certamente não é para todos, mas, em grande parte devido à sua abordagem fresca e seus discursos infinitamente fascinantes, ele acaba ficando com você por muito tempo após as agitadas imagens animadas terem sumidas da tela. A resposta, suponho eu, é vê-lo novamente, e então, é que você vai perguntar Será que somos sonâmbulos quando estamos acordados ou estamos acordados quando estamos sonhando?

Dica: Não se preocupe, se tiver vontade de ler filosofia qdo o filme terminar.

Boa semana, até a próxima.

Anúncios

5 Apostas para próxima temporada!

Elegemos 5 nomes e itens que irão bombar na temporada primavera – verão 2013/2014! E para você não ficar de fora do que vai ser hit logo mais, nós te atualizamos com o melhor da moda, beleza, decor, música e afins! Chega mais!

1148900_457104864397357_2047648103_n

Foto: Atelier Ju Amora

Banquetas Ju Amora: Não é novidade que sou fã do trabalho da Ju Amorim! Suas banquetas coloridíssimas são puro charme! Quer dar colorido e um toque divertido à sua casa? É bom olhar com atenção para os trabalhos da artista, sempre cheios de energia e diferenciados e o melhor, ela trabalha com vendas online! Para conhecer outros trabalhos e adquirir sua banqueta style: https://www.facebook.com/AtelieJuAmora?fref=ts

bb-cream-loreal-claudinha-stoco-1

Foto: Divulgação

BB Cream Loreal: Adeus cara de cansaço! Adeus marcas indesejáveis! Adeus mil produtos para chegar num bom resultado! Bom eu falo com conhecimento de causa. Recebi a amostra do produto e testei! E o que eu ouvi das pessoas foi: Nossa sua pele está tão boa! Gente! Você está com um rosto tão uniforme, sem manchas, etc. Risos a parte, o produto é bom mesmo e o melhor contém filtro solar! Então se joga!

1238811_1412615312297231_1551159094_n

Foto: I9Design

Kamizzeta I9desing by San Venturelli: Eu como bom blogueiro, adoro itens únicos, personalizados e esta semana tive contato com o trabalho da I9desing! Várias t-shirts muito bacanas com estampas muito atuais e bem humoradas e com preços ótimos também! Feitas por encomenda, você já pode pedir a sua pelo face: https://www.facebook.com/geraldine.doyle.3511

41

Foto: Reprodução

Peças masculinas com estampa floral: Elas surgiram em 2011 em alguns desfiles de moda masculina e podemos dizer que causaram uma certa resistência por parte do público masculino! Mas agora em 2013 podemos ver em vários registros de street style a presença das estampas florais desfilando por aí nos looks masculinos. São jaquetas, camisas, t-shirts! Se você é ousado e não tem medo de arriscar, aposte sem medo!

559792_192634934248741_881684864_n

Foto: Michel Braga (divulgação)

Dj Michel Braga: Para quem não sabe, o Sul de MG tem vários Djs sensacionais! E entre eles posso citar o trabalho do Michel Braga! Quem esteve no Coquetel da Colcci no Serra Sul Shopping amou! Portanto é bom estar atento! Com um set de música eletrônica intitulado de Take you Higher, seu soundcloud é sucesso na hora de fazer uma pré com os amigos! Se joga! https://soundcloud.com/dj-michel-braga/t-a-k-e-y-o-u-h-i-g-h-e-r-m-i

Thiago Pethit – Sesc Vila Mariana

memoria-sentimental-e-thiago-pethit-1071

Foto: Bruno Marchetti (Aquilo Mais Isso)

O cineasta norte Americano David Lynch se tornou conhecido, e cultuado, graças aos personagens e universo criados por ele, onde subversão, todo tipo de excentricidades e desvios comportamentais convivem em harmonia, o subversivo e o surreal percorrem sua obra e nela a musica tem uma papel de extrema importância, dando o acabamento, as nuances e o clima que a mesma possui, e a musica teve um papel tão importante em toda sua obra que acabou ele mesmo enveredando os caminhos de compositor e cantor mais tarde, tendo há pouco lançado seu segundo disco ( que recomendo ).

Se a proposta de ver Thiago Pethit interpretando as canções dos filmes de David Lynch já soava bem convidativa, vê-la sendo colocada em prática foi um deleite para todos que se encontravam ali no teatro do Sesc Vila Mariana.

Acompanhado de sua banda, mais o auxilio de uma pianista ( que se desdobrava também nos sintetizadores ,) mais um trio de cordas, com dois violinos e celo, e com um figurino baseado em smokings impecáveis, ele iniciou o show declamando o texto No hay banda do filme Mulholland Drive, Cidade dos sonhos no Brasil, passeando por toda a trilha sonora desfilaram se os blues ora clássicos ora extremamente vanguardistas presentes na cinebiografia de Lynch, Blue Velvet de Veludo Azul , I put a spell on you de A estrada perdida, Love me tender de Coração Selvagem se juntaram a uma improvável execução de Insensatez de Tom Jobim presente na trilha de A estrada perdida, fazendo com que Pethit fizesse piada com a excêntrica ligação que se deu do cineasta e sua obra “bizarra” e ou “excêntrica” com Leblon e Manoel Carlos. Com uma voz potente, muita presença de palco, uma banda afiada e um publico disposto a se diverti,r o jogo estava ganho e Thiago Pethit fez bonito! Confesso que um dos meus maiores desejos não foi realizado, pois fui com a intenção de ver algo da trilha do Twin Peaks, que tanto fez parte de minha infância, reproduzido por ele, mas não foi dessa vez, porem não impediu que saísse de lá com um sorriso estampado no rosto e feliz por estado ali e presenciado um show tão incrível.

Autor: Wash Jordano

Exposição – Modelos Marionetes de Fause Haten

Pessoal ainda dá tempo! Ta rolando no shopping Morumbi a exposição de marionetes do estilista Fause Haten. Para quem não sabe, na temporada passada foram confeccionados vários marionetes para o desfile de FH. Estas bonecas estrelaram o desfile do estilista e na sua confecção tiveram como referência, várias top models, portanto é possível se deparar com Mariacarla Boscono e Gisele nestas versões. A mostra ainda reúne suas criações de moda primavera-verão 2013/2014. A apresentação na ultima SPFW foi super elogiada e aplaudida de pé pelos presentes, portanto, vale a pena a visita a esta expo!

Confira algumas imagens:

marionetes-do-verao-2014-de-fause-haten-ganham-exposicao1

foto: agrund.com

fause_haten3_119_0_641_419

foto: valor.com.br

FASHION-BRAZIL-SAO-PAULO-FASHION-WEEK-FAUSE-HATEN-G7T1306471jpg

foto: o Globo

O Mundo Maravilhoso do Dr. F.

local: Shopping Morumbi – Piso Lazer

Quando: 15 a 28 de agosto.

Av. Roque Petroni Júnior, 1089
Horários
De seg. a sáb., das 10 às 22h
Aos domingos, das 14 às 20h.

 

Top Models gatas! Literalmente!

Você já ouviu falar das Cats Ads? Não? Bom, o site Come Diva soltou esta semana, criou uma brincadeira com campanhas mundiais do segmento de beleza e da moda! Na verdade as gatinhas são retratadas em anúncios de make up, bolsas, perfumes etc. Todas as propagandas fazem alusão ao mundo felino, assim como nomes das grifes, textos e os produtos também, claro! Uma coisa não podemos negar, os bichanos não ficaram devendo nada para as top models viu?

Vejam:

catads_CAT catads_coverpurr catads_esteelitter catads_furbandecay catads_hisssaintlaurent catads_kittendior catads_meowrealLindas não? rs

Marvel Super Heroes vestem Dolce & Gabbana

Como todos sabem, não é de hoje que personagens infantis e de HQs são retratados das formas mais inusitadas em publicações, sites e afins. E nós que somos fãs confessos deste tipo de ilustração sempre divulgamos aqui no HTF! Desta vez os escolhidos são os heróis da Marvel, que vestem roupas da grife Dolce & Gabbana. Tempestade, Spider-Man, Capitão América e outros foram retratados usando as criações da dupla de estilistas pelo designer Peter McNierney. O resultado é muito legal e as roupas são da coleção primavera-verão. Vejam:

3 4 11 21

Princesas Assassinas – Herr Nilsson

Esqueça aquele universo de boas meninas que a Disney sustentou por anos a fio… As princesas do artista Herr Nilsson são assassinas e empunham armas. A arte gerou um certo mistério em Estocolmo na Suécia, e Herr definiu suas ilustrações nos muros e paredes como:

“As princesas obscuras são um retrato da violência, mas também de como olhamos para o bem e para o mal no mundo”, avaliou. “Todo mundo espera que uma princesa de conto de fadas esteja sempre bonita e se comporte bem.” A declaração foi dada ao jornal “The Local”, via Facebook.

Vejam as imagens:

304090-640x480-1 304091-640x480-1 304092-640x480-1

Fonte: Folha de São Paulo